Paty_2

Quem Sou

Nasci com uma inquietação muito grande. Desde muito cedo sentia que existia algo mais na vida, que não nos era contado na escola ou na televisão.
Com cerca de cinco anos recordo-me dos cultos evangélicos que meus pais frequentavam. Aos nove anos decidi conhecer outra igreja e me batizar nela. Algo eu mim queria aquela consagração que o batismo representava, mesmo sendo apenas uma garotinha. Minha busca já havia começado. Prossegui algum tempo naquela religião, cantei no coral, participei das atividades. Curti. Mas continuei sentindo que algo faltava. Pouco tempo depois ganhei um presente incrível do meu irmão: uma assinatura da revista Capricho. Quem se lembra dessa?

Era um tesouro para pré-adolescentes como eu. Vivia entre pôsteres dos New Kids on the Block e Guns N’ Roses (sim, um tanto eclético). Eu me deliciava com coisas do mundo adolescente. Você pode pensar agora:

“ok, uma menina normal!”. Mas antes de concluir isso, permita-me contar um pouco mais sobre algumas esquisitices.

Em um belo dia, me deparei com uma propaganda do Greenpeace. Busquei informações de como me cadastrar, preparei uma cartinha e pedi para minha mãe colocar no correio. Qual não foi minha decepção com a resposta: eu poderia me filiar, receber uma carteirinha e uma camiseta.

Oh, não!

Eu não podia acreditar! Realmente pensei que eles enviariam um convite para nos amarrarmos em árvores, para acompanhá-los em seus percursos de navio, para salvar golfinhos e baleias no oceano. Fiquei decepcionada.

Eu vivia, praticamente, no Fantástico Mundo de Bob. Abandonei o sonho de ser uma grande ativista e decidi ser uma jovem normal. Ou pelo menos tentar.

Os anos se passaram e, por uma dessas felizes coincidências da vida, minha mãe conheceu uma simpática senhora, proprietária de uma livraria espírita.

Falou sobre mim, sua filha adolescente que não sossegava e dava bastante trabalho por ser rebelde. A doce senhora, de nome Irene, decidiu acolher-me como sua pequena gafanhota. As aulas aconteciam uma vez por semana, em seu apartamento.

No começo eram quatro alunos. No final estávamos apenas nós duas.

Estive com ela por apenas um ano, mas, olhando de onde estou agora, me parece muito mais. Ela me apresentou para Alan Kardec, Chico Xavier e uma série de pessoas um bocado maravilhosas. Pessoas essas que já não estavam nesse plano. Mas que pareciam mais presentes na vida do que muitos chamados de vivos.

Continuei trilhando esse caminho, passando por algumas casas espíritas, as quais sempre terei muito carinho: Federação Espírita, Frateceb, Centro Francisco de Assis, Seara Bendita e Centro Maria Rosa Fernandes.

Nesse meio tempo me perdi, me encontrei, me despedi do meu melhor amigo e irmão Leandro, que faleceu aos vinte e cinco anos por complicações geradas pela Distrofia Muscular. Me perdi de novo. Até que encontrei (hoje sei que, na verdade, reencontrei) um irmão muito querido, que faz, com sua equipe, um lindo trabalho de luz: Doutor Goldenberg.

O Grupo Transcendental Doutor Goldenberg – Força Saint Germain, faz um lindo trabalho de cura espiritual, oferece cursos e muitas atividades.

Sempre brinco que cheguei nessa casa aos “cacos” e o Doutor Goldenberg, com a sua linda equipe, me colaram com super bonder, pedaço por pedaço.

Eu estava em depressão, em um trabalho que odiava, me sentindo muito mal comigo mesma. Fui me recuperando e descobrindo que minha realização não viria de um diploma convencional. Fiz muitos cursos bacanas de autoconhecimento e descobri um dos principais, que me mostrou a minha missão Divina:

Curso Mensageira dos Anjos, com Livia Jepsen, Terapeuta Angelical.

Comecei a me dedicar as leitura angelicais e descobri muitos talentos que estavam escondidos em mim. Abandonei a minha formação convencional (Pedagogia) para me dedicar a esse sonho.

Assim nasceu Conexão dos Anjos, autoconhecimento a seu dispor!

Sinto-me verdadeiramente em meu propósito. A cada dia descubro mais coisas maravilhosas dentro de mim e aprendo que o ser humano vale muito a pena. Todos temos grande potencial de luz, só precisamos permitir que isso venha à tona.

Quanto mais aprendo, mais percebo que tenho a aprender. E a melhor forma de aprender é ensinando, é passando minhas descobertas ao próximo. E é por isso que eu estou a cada dia estudando, lendo, participando de cursos, palestras, workshops, encontros, etc., para oferecer um trabalho de qualidade para aqueles que procuram minhas orientações.

Se no livro da vida cada um escreve o tempo todo a sua história, modificando e adaptando seus passos, então é possível contemplar dias mais harmoniosos e evoluir através do amor.

Pense nisso.

Pense nas mudanças positivas que pode fazer agora para reescrever essa história.

E lembre-se: tudo começa através da sua mente. Eleve-se!